12 de jun de 2010

A Copa da vez

Sylvio Capanema escreveu, a respeito do dia-a-dia dos times de futebol: o fogo das paixões clubísticas tolda o raciocínio, rompe o verniz de civilização com que nos cobrimos e faz despertar a besta fera que continua a hibernar por baixo dele. (…) Isso é o que faz a paixão pelo futebol capaz de transformar este Relator, que geralmente se comporta como um diplomata inglês, da era vitoriana, em botequineiro do cais do porto, quando está no Maracanã, torcendo, em sua vulcânica paixão.

Inspirado pelo eminente Desembargador, teço algumas considerações sobre a filosofia da bola, extraídas da sabedoria ludopédica, ensejadas pelo evento máximo do esporte mundial.

Mama África

Que o continente africano seja o berço da civilização acho forçação de barra. Mas que tenhamos um pé na cozinha, com isso eu concordo!

Mesmo que a Eva mitocondrial ou o Adão cromossômico venham de lá, a civilização, no duro, começou na Suméria. A menos que você considere os egípcios anteriores. Mas, cá entre nós, até o Egito tem um pé na Ásia!

Enquanto o mundo rolar, a bola terá paz

Metrópoles e colônias, rivais e parceiros, vizinhos e desconhecidos, do Norte e do Sul. Fora o Reino Unido, que vai separado, na Copa o álbum de figurinhas é comunitário.

O esporte aponta o caminho, declara o ideal, expressa o desejo. Mas a paz começa em casa e é obra de cada um, da justiça, do perdão e da compreensão.

Gol da educação

Nada mais quente que um chute a gol, arrepiante que a bola beijando a trave, estimulante que um belo drible, cruel que um penalty roubado, aliviante que um impedimento.

Sem meta, tentativa, desafio, revés e sorte, a vida seria insossa como um 0x0. Que não falte treinar os fundamentos, nem se omitam as jogadas ensaiadas, nem careça o time de reservas e craques.

Os deuses do futebol

A FIFA baniu a ave-maria por pedido dos dinamarqueses. Por que a nossa fé ofende aqueles ateus materialistas? Quando ganharem alguma coisa, que façam suas reinvidicações.

Tolerância e diversidade para pervertidos e patuás. Culto, só para a fama, bichos e patrocínios. Através de Moisés, Jesus comprado ingressos para Zoroastro, Buda e Confúcio, mas todos ficaram de fora.

Paradoxos e aporias

Reparou que a Copa não tem cavidade para líquidos?

Se as infrações só ocorrem com a bola em jogo, como pode haver impedimento em cobrança de falta se, na hora do lançamento, a bola ainda não entrou em jogo?

Galvão Bueno é um homo universalis: sabe estatística, história, geografia, automobilismo e geopolítica. Só não sabe ficar calado.

*****

Se o Brasil for eliminado, serei África do Sul ou Uruguai desde criancinha.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...