21 de abr de 2010

Onze paixões e quatro dicas

Se você pensa que vou falar apenas de paixão amorosa, enganou-se. A ideia aqui é pôr a descoberto tudo o que passa no coração humano de bom e ruim, para bem e para mal, do desejo ao temor, da audácia à tristeza.

Mapeando o terreno

No campo das paixões importa muito identificar e distinguir os jogadores. O “campo” é a afetividade, isto é, o conjunto das apetências. Os “times” são o apetite irascível e o apetite concupiscível. Os “jogadores” são as paixões, que consistem nos atos das apetetites sensitivos.

Há grande diferença entre as paixões dos homens e as dos animais, pois a afetividade humana vem permeada de racionalidade. Ou seja, o apetite racional (que é a vontade), educa (submete politicamente) as paixões. Com efeito, no homem as paixões são mais plásticas e podem ser produzidas pelas potências superiores.

Educação das paixões

1. Explicar os sentimentos. Muitas vezes, quando o que sentimos é explicado, conseguimos superar travas psicológicas. Por exemplo, pode ser o começo da libertação reconhecer que o medo a dirigir procede de uma batida vivenciada na infância, ou que o ciúme que nos acossa é temor de uma nova rejeição.

2. Despistar as efusões sentimentais inconvenientes. A forma mais imediata de vencê-las é distrair-se para produzir sentimentos contrários. Já dizia o mestre Bezerra: “se segura, malandro, pra fazer a cabeça tem hora”. Se eu levasse às últimas consequências meus apaixonamentos, teria um harém!

3. Ganhar discernimento com a experiência. Escarmentar é palavra feia; muito útil, porém. Especialmente escarmentar com os erros alheios. Muita gente transforma as paixões em entorpecentes psíquicos, enreda-se em círculos viciosos, repete velhas tolices. Ilustra-o bem a quantidade de divórcios e novas uniões malfadadas, como se o próximo amor solucionasse uma necessidade impossível de ser preenchida: afinal, dar tudo de nós e receber tudo da outra parte é mera permuta de carências.

4. Praticar ascese. Ascetismo é exercício para a alma. Pode parecer incrível, mas existe. Igualzinho a academias, escolas de artes marciais ou prática desportiva amadora, com ou sem personal trainner. Primeiro, o fora de forma espiritual identifica que “músculos” da alma e habilidades morais precisa desenvolver; em seguida, escolhe os exercícios convenientes e neles progride pouco a pouco. A conquista das virtudes pelo caminho da ascese é uma forma extremamente eficaz de integrar as paixões à vida moral, facilitando a clareza da inteligência e fortalecendo a vontade.

*****

Classicamente, as paixões são 11, cinco referentes ao apetite irascível (esperança, cólera, audácia, temor, desespero) e seis ao concupiscível (amor, desejo, alegria; ódio, tristeza, aversão). Primeiro veremos o amor e, em seguida, as demais paixões. Também já tinha falado sobre as reverberações corporais das paixões.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...