4 de mai de 2010

Mister Bean carioca (ou o gerente caricaturesco)

Quem conhece, sabe onde é
Que situação a nossa! Fomos levar um amigo de São Paulo, jornalista, para jantar no Rio. Surgiu a ideia de comer uma pizza. Escolhemos uma das melhores da cidade e atracamos no Jardim Botânico.

Toca a esperar. Veio a entrada de beringela e os chopes. Nada da pizza. A mesa ao lado já estava na segunda rodada.

— Amigo, como está a nossa pizza?

— Está no forno! — retorquiu o garçon dentinho.

Toca a esperar. Veio mais chope. Nada da pizza. A mesa ao lado já estava na terceira rodada.

— Houve um pequeno problema! — anunciou o garçon dentinho.

— O que foi?…

— A pizza de vocês ainda não foi para o forno! — proclamou solenemente o dentinho.

— Cara, estamo aqui há uma hora!

Dali a cinco minutos, o dentinho retorna:

— Há outro problema… não sabemos que pizza vocês pediram!

— Que acinte! Só aceitaremos isso se a pizza sair de graça!

— Não posso fazer isso… — respondeu ele.

— Então chame o gerente, por favor!

Chegou um homem saído dos filmes do Mr. Bean, enfiado num traje de cor peculiar. Pediu desculpas e prometeu liberar de graça uma sobremesa, que poderia ser “brigadeiro na colher” (sinônimo de farofada requintada). Só para confirmar, deixei claro:

— A disjuntiva é a seguinte: ou tem sobremesa de graça ou nos vamos embora imediatamente!

Veio a pizza. Azeite no pãozinho, fome negra (era quase meia noite e não sou racista), a sede retorna. Reaparece o dentinho:

— Sobremesa?

Só para ver o que aconteceria, emendamos:

— Brigadeiro na colher.

Dali a pouco veio a conta. R$ 21,00 só pelo brigadeiro na colher. Descontamos o item e o dentinho disse:

— Não posso fazer isso…

— Então chame o gerente, por favor!

Chegou o homem saído dos filmes do Mr. Bean, enfiado num traje de cor peculiar. Pediu desculpas e disse que não tinha prometido sobremesa de graça a ninguém. Só para lembrá-lo, exclamei:

— A disjuntiva era a seguinte: ou tinha sobremesa de graça ou iríamos embora!

— Não será possível. Vocês terão de pagar.

Meu amigo paulista estava com os olhos esbugalhados. Qualquer carioca iria querer esconder a cabeça num buraco, pois afinal a pizza não era lá essas coisas. Simplesmente me levantei, tomei o caminho da porta e saí sem pagar, num gesto repetido pelos demais.

Era por volta da meia noite. A brisa estava tão fresquinha!…
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...