13 de jan de 2010

Como surgiu a New Age

O espírito dessa pretensa religião universal foi introduzido em Woodstock e explicado de maneira popular no “musical” Hair (1960) quando, ao público do mundo inteiro, se disse que “esta é a aurora da Era do Aquário”, uma Era fundamentada sobre a harmonia, a compreensão e o amor. «When the Moon is in the Seventh House, and Jupiter aligns with Mars, then Peace will guide the Planets, and Love will steer the Stars. This is the dawning of the Age of Aquarius... Harmony and understanding, sympathy and trust abounding; No more falsehoods or derision — golden living, dreams of visions, mystic crystal revelation, and the mind’s true liberation. Aquarius...».

A New Age (termo que originariamente se referia à Nova Era do Aquário) é uma falsa utopia para responder à profunda sede de felicidade do coração humano, à mercê da dramaticidade da existência e insatisfeito com a profunda imperfeição da felicidade moderna. É uma resposta enganadora à esperança mais antiga do homem, de uma Nova Era de paz, de harmonia e de reconciliação consigo mesmo, com os outros e com a natureza.

Muitas pessoas vacilam entre a certeza e a incerteza, em especial quanto à sua identidade. Daí que dirijam o olhar para si, em busca de sentido e de força, ao invés de confiar nas instituições patriarcais e autoritárias, na política ou na medicina.

Mas o rechaço cultural é filho dessa mesma cultura, que se baseia na liberdade, na autenticidade e na autossuficiência. Daí que haja pouca coisa nova na Nova Era. Seu êxito provém da prévia aceitação de sua cosmovisão, da difusão do relativismo e o crescimento da antipatia pela fé cristã.

O nome se difundiu através dos rosacruzes e da francomaçonaria, nos tempos das revoluções francesa e americana. No entanto, denota uma variante contemporânea do esoterismo ocidental, que se remonta à gnose dos tempos apostólicos e se reafirmou na época da Reforma. Desenvolveu-se com as novas visões científicas modernas e adquiriu justificação racional ao longo dos séculos XVIII e XIX. Implicou um progressivo rechaço do Deus pessoal e centrou-se com adaptações noutras entidades que no cristianismo tradicional figuravam como intermediarias entre Deus e a humanidade. Uma poderosa corrente da cultura ocidental moderna que contribuiu à sua difusão foi a aceitação geral do darwinismo, o que, com a atenção nos poderes ocultos da natureza, é sua coluna vertebral.

O símbolo de Aquário, tomado da mitologia astrológica, converteu-se na expressão do desejo de um mundo radicalmente novo. Dois centros impulsionaram inicialmente a New Age: a Comunidade-Jardim de Findhorn, no nordeste de Escócia, e o Centro para o Desenvolvimento do Potencial Humano de Esalen, em Big Sur, Califórnia. Contudo, o que mais alimenta a difusão da New Age é a progressiva consciência global e a percepção de uma crise ecológica iminente.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...