31 de ago de 2009

Sistemas específicos de iluminação não-residenciais


Iluminação pública e de monumentos
Nas cidades, a iluminação artificial noturna garante a circulação e a segurança das pessoas, realçando e destacando concomitantemente a arquitetura urbana. O nível de iluminamento deve ser proporcional à velocidade e quantidade de veículos que circulam pelas vias públicas, evitando causar ofuscamentos ou sombras que dificultariam a visão dos motoristas, o que se consegue através do controle da distribuição fotométrica e da alta eficiência luminosa. A diferenciação das vias primárias e secundárias pode‑se fazer alternando lâmpadas de vapor de mercúrio (branca azulada) e vapor de sódio (branca‑dourada, mais econômica e duradoura, mas que requer equipamento auxiliar específico).
Em estradas com difícil acesso da rede elétrica, as passarelas e pontos de ônibus podem ser servidos por postes com fontes autônomas de energia, equipados com painel solar e bateria selada.

A valorização de monumentos e fachadas exige cuidadoso estudo da área a ser iluminada, segundo a melhor localização e utilização dos projetores, suas formas e dimensões, seus refletores de longo alcance e aletas anti‑fuscamento, sua exposição, nicho, poste ou abrigo antifurto. A posição e o tipo de facho (aberto ou concentrado) variam conforme o efeito requerido. Para fidelidade de cores são melhores as lâmpadas de multi‑vapores metálicos, cuja luz assemelha‑se à solar.

Jardins e paisagismo
As áreas externas ajardinadas, ao serem iluminadas, requerem — mediante baixo consumo de energia (irradiando pouco calor) e longa durabilidade (exigindo pouca manutenção) — que os pedestres e veículos tenham segurança na circulação e fique realçado o aspecto decorativo sem prejuízo do crescimento natural da vegetação.

As forrações e a circulação de usuários pedem iluminação suave sem ofuscamento, propiciada por lâmpadas compactas em balizadores com difusor em vidro fosco. Para iluminação geral, com maior intensidade luminosa, convém escolher — para postes refletores de 3 ou 4,5m — dentre as lâmpadas de vapor metálico aquela que dá a tonalidade de cor requerida (levando‑se em conta, por exemplo, que a de vapor de sódio atrai menos insetos). Nas áreas de maior destaque, os projetores direcionam fachos de luz abertos ou concentrados, podendo estar providos de aletas antiofuscantes.

Condomínios e áreas comuns
Esse tipo de iluminação exerce forte influência nos custos finais de taxas de condomínio devido à grande quantidade de pontos de luz e utilização prolongada. Contudo, garante a segurança, define as áreas de acesso, valoriza as áreas de lazer e decora a edificação.

Lâmpadas incandescentes compactas proporcionam economia de energia, menor transmissão de calor ao ambiente e reposição menos frequente. Pelo seu tamanho reduzido, permitem o uso de luminárias de pequenas dimensões: embutidas, com refletor em alumínio anodizado, ou plafons, com refletor em alumínio polido, para áreas internas; balizadores, com difusor em vidro transparente, ou postes baixos, com difusor em vidro fosco, para áreas externas.

Para áreas extensas, como jardins, é melhor utilizar postes de 3 ou 4,5 m de altura, com refletor em chapa de alumínio e difusor em vidro transparente temperado, equipados com lâmpadas de descarga de alta pressão.

Escolas, bancos e escritórios
Tais equipamentos exigem um sistema de iluminação eficiente: o conforto dos usuários — dado pela pouca radiação de calor, uniformidade da luz e eliminação de ofuscamentos — deve estar unido à economia de energia — vida útil mais longa, mais luz por watt consumido —, o que se consegue cuidando especialmente da integração das lâmpadas com as luminárias, maximizando os resultados.

As lâmpadas com fiel reprodução de cor associadas a refletores parabólicos especulares (índice de reflexão da ordem de 95%), dotados de aletas transversais parabólicas, os quais distribuem a luz num ângulo de 50º e proporcionam variação mínima entre luz e sombra, formam um sistema que garante o conforto visual eliminando os reflexos indesejáveis, especialmente provocados em monitores de terminais de computadores.

Bares e restaurantes
Em áreas de alimentação deve‑se inspirar bem estar e aconchego nos usuários. É interessante diferenciar setores de uso geral e privado mediante variações da intensidade luminosa com harmonia da tonalidade de cor de luz e do nível de iluminação pretendido. O conforto se dá quando, para pouca luz, o tom tende ao amarelo e, quando há mais, para o branco. Também é fundamental que as fontes luminosas garantam um excelente índice de reprodução de cor, valorizando a decoração e a aparência dos alimentos servidos.

A iluminação geral pode ser obtida indiretamente com sistemas de luz fluorescente ou diretamente através de luminárias embutidas com refletor, preferindo‑se as fluorescentes compactas pela menor carga térmica. Os balcões, buffet, centro das mesas etc. podem ser destacados através de iluminação direcional e concentrada em luminárias decorativas (semi‑embutidas com difusores em vidro fosco ou arandelas), podendo‑se também focalizar à distância com lâmpadas halógenas em refletores metálicos.

Museus e galerias
O destaque dos objetos expostos exige que as lâmpadas apresentem elevado índice de reprodução de cores, tonalidade adequada; que o sistema seja versátil, permitindo alternativas de posicionamento; que tenha uma fácil manutenção. O projeto deve dirigir a iluminação aos objetos, criando contrastes de luz e sombra, definindo volumes e dramaticidade visual, sem ofuscamentos.

Lâmpadas halógenas de vapor metálico com capa anti‑ofuscante focalizam a longa distância com fachos de até 3º de abertura. No caso de sensibilidade ao calor podem ser usadas dicróicas, ainda que a abertura do facho seja maior. As luminárias nesses casos são spots discretos, podendo inclusive estar adaptados a um trilho eletrificado que favorece a iluminação dinâmica. No geral, convém usar fluorescentes de alta fidelidade de cores para iluminação indireta ou arandelas e spots equipados com lâmpadas de descarga de multivapores metálicos. Quando o pé‑direito for muito elevado, essas lâmpadas podem ser usadas em luminárias embutidas para iluminação geral direta. Convém prever filtros de borossilicato e a distância mínima a que as fontes de luz deverão ficar das obras expostas.

Clínicas e hospitais
Enquanto áreas simultaneamente de atendimento médico e lugar público, reclamam iluminação constante, segura, satisfatória e econômica. Daí que o sistema luminotécnico deva ter elevada eficiência, pouca manutenção e durabilidade.

A melhor solução recai em sistemas de lâmpadas fluorescentes, com luminárias moduladas que associem iluminação de emergência e sonorização. Lâmpadas Luz do Dia (6.000K) realçam especialmente a higiene dos cômodos.

Hotéis
A iluminação é cartão de visitas desse tipo de estabelecimento. Precisa também ser eficiente, diminuindo a manutenção e tendo alto rendimento.

Um sistema geral adequado aos vestíbulos, recepção e corredores é o das lâmpadas fluorescentes compactas em luminárias com refletor de alumínio anodizado alto brilho. A iluminação de destaque, que atrai a atenção do usuário para a recepção, pode contribuir para a decoração com difusores em vidro fosco ou valorizar alguma obra de arte através de lâmpadas halógenas em refletores metálicos.

Nas salas de conferência, convém utilizar lâmpadas fluorescentes em luminárias embutidas visando a leitura, podendo‑se também integrar ao mobiliário local luminárias de mesa que dão ao ambiente um toque acolhedor.

Centros de informática
Na concepção de escritórios, deve‑se buscar que o trabalho seja agradável e o menos cansativo, eliminando os brilhos indesejados nos monitores dos computadores.

Os refletores parabólicos de alto rendimento, associados a aletas transversais parabólicas, concentram, uniformizam e direcionam o fluxo luminoso num ângulo de 50º, evitando os ofuscamentos.

Indústrias e galpões
É necessário conferir a cada área de trabalho o nível de iluminação correto, evitando ofuscamentos e permitindo alto padrão de reprodução de cores, visando a segurança e a maior produtividade dos funcionários, evitando o cansaço e os acidentes de trabalho. É fundamental associar esses objetivos a um sistema econômico e de baixa manutenção, reduzindo os custos operacionais. Por isso, as lâmpadas de descarga são as mais indicadas.

Recomendam‑se, no caso de o pé‑direito ser relativamente baixo, a fim de garantir a homogeneidade na distribuição da luz e comodidade visual, fluorescentes em luminária com refletor interno branco e alojamento para equipamento auxiliar (podendo ter aletas antiofuscantes em polietileno leitoso anti‑estático, que repelem pequenas partículas e dificultam o acúmulo de poeira), fixada por canopla, base, adaptador para trilho eletrificado ou adaptação para perfilados.

Lâmpadas de vapor de mercúrio — melhores que as mistas tanto na durabilidade quanto na luminosidade — têm moderado índice de reprodução de cores, podendo ser usadas em galpões de pé‑direito elevado. No caso de gráficas, tecelagens ou setores industriais que exijam elevada fidelidade cromática, é indicado o emprego de lâmpadas multivapores metálicos. As de vapor de sódio são indicadas para estocagem, metalurgia, siderurgia ou montagens por serem as mais econômicas e poderem ser utilizadas em luminárias com refletor de alumínio anodizado alto brilho, fixadas contra o teto ou pendentes de perfilados com caixas de alimentação, facilitando a manutenção e a versatilidade.

Lojas e galerias
O objetivo da iluminação em lojas é valorizar o produto e atrair o consumidor. Para isso, utilizam‑se equipamentos que proporcionem excelente nível de iluminação, ótima reprodução de cores, menor aquecimento do ambiente e ausência de ofuscamentos, sem desperdício de energia elétrica.

A iluminação geral se consegue satisfatoriamente com fluorescentes compactas de cor branca neutra em luminárias embutidas com refletores de alumínio anodizado alto brilho.

No interior das lojas, a iluminação localizada valoriza os produtos nas prateleiras, araras e balcões mediante fachos concentrados focados a longa distância ou através de lâmpadas dicróicas mais próximas em luminárias discretas de fácil manuseio. Outra opção mais versátil e dinâmica, especialmente para vitrines, é o sistema de trilho eletrificado com spots. As vitrines e prateleiras podem precisar de um «banho de luz» (wall‑wash), isto é, sendo grandes superfícies, receberem muita luz por igual, o que se consegue através de halógenas de potência superior a 100W ou, ainda melhor, de lâmpadas de multivapores metálicos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...