14 de jul de 2010

Trending topics

Mesmos macacos de imitação

Antes eu já escrevera que o mundo vive de trending topics. Os elos da corrente da vida são notícias de variada procedência que, por um misterioso querer do destino, sobem à crista da informação.

Desde Mick Jagger ao Polvo Paul, da queda do avião no Atlântico ao terremoto no Chile, a opinião pública é conclamada a volver sua atenção à última epifania jornalística.

É forçoso também recordar que tanto a campanha da #fichalimpa quanto o #calabocagalvão fizeram o itinerário ao contrário: da opinião pública à mídia. Sem dúvida, tal novidade é louvável, pois demonstra a força independente do público diante dos produtores de notícia. O protagonismo foi transferido a novos promotores de mobilização.

Os neomobilizadores são os que dominam a nova estética da comunicação de rede, o que ainda é prerrogativa de uns poucos. A massa continua repetindo, seguindo, retwittando, obedecendo ao que seu mestre mandar, ainda que seja um mestre difuso.

Novo calendário de interesses

Em maio, quando faltava assunto na mídia, o Papa tornara-se seu alvo constante. Já se tinham esgotado os temas do Haiti, das enchentes, do Michael Jackson, etc. Mas era óbvio que deixariam o Papa em paz com o início da Copa do Mundo.

Agora, com o fim da Copa, o foco é o esquartejamento da amante de um futebolista, o que em breve dará lugar às eleições. A menos que de permeio aconteça um tsunami no Maranhão ou se descubra que a Lady Gaga é homem.

Certamente, a história se desenvolve ao longo do tempo mediante fatos candentes. Nosso noticiário, porém, parece-se mais a uma saga (compilação de histórias, colcha de retalhos narrativos), cujas partes são concatenadas de acordo com o humor do aedo de plantão.

Pode-se afirmar que os eventos substituíram os tempos. Os trending topics são um novo tipo jubileu na era da informação. O jubileu era a solene comemoração de um aniversário redondo. Semelhante às bodas, o jubileu torna memoráveis os eventos fundantes de uma cultura, etnia, nação ou família. Os fatos significativos do passado são celebrados porque possibilitaram o presente e condicionaram o futuro, que são as coordenadas da liberdade.

Os trending topics, pelo contrário, são arbitrários. São monumentos dedicados ao efêmero. São tão ocos que podem servir para contar o passar do tempo da mesma forma como, na época de Roma, o nome dos cônsules servia para a datação, antes de Dionísio o Exíguo instituir a numeração cardinal da Era Cristã.

Enquanto jubileu ao contrário, um trending topic nada traz à memória. Pelo contrário, apenas atiça a curiosidade e forja personalidades pautadas mais por novidades do que por experiências e convicções. Não abre espaço à liberdade construtiva, somente à ironia mordaz.

*****

Responde-me ou te devoro: quem de manhã lê quatro e-mails, ao meio-dia dois tweets e à tarde três feeds?

Agora é sério: qual o seu trending topic para o dia de hoje?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...