2 de nov de 2009

Quatro níveis de consciência



Depois de muito debate, discussão, altercação, extrapolação, leituras, consultas, polêmicas, afirmações gratuitas, pontificações dogmáticas e dúvidas metódicas, acho que cheguei a um veredito acerca de como funciona a consciência. Talvez esteja sendo pretencioso, mas me serve de resumo e referência. Então, lá vai:

Mera advertência:
1) Conhecimento fontal: percepção de que se está atuando. Isso basta para a relevância moral da ação.

2) Conhecimento reflexo (é o que São Tomás chama de consciência): sempre ocorre quando agimos, levando-nos a sentir timidez, vergonha, orgulho, vaidade, dúvida, etc.

Reflexão sobre a ação:
3) Conhecimento gnômico: fixação de máximas de sabedoria, extraídas da experiência. Enriquece a sindérese (capacidade de perceber e preferir o bem, e reconhecer de evitar o mal).

4) Conhecimento sistemático ou especulativo: estabelecimento de princípios teóricos de conduta (leis).

***

A lei natural está no encontro entre o conhecimento sistemático e o gnômico. Afinal, de que adianta a teoria sem a experiência prática?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...