23 de set de 2009

Quatro tentações do dia-a-dia

Reconhecer os pontos fracos equivale a tê-los 50% vencidos.


1. Tentação do desânimo
O contraste entre o que sonhamos e o que conseguimos de fato realizar em nossa vida talvez constitua uma tentação. Tentação que produz um saldo de desânimo. Ficar detidos nessa constatação poderia nos fazer pensar que, permanecendo fiéis aos nossos projetos imaginários, seremos ineficazes ou perderemos as chances reais.
É preciso ser magnânimo, o que não é o mesmo que ser um sonhador barato.


2. Tentação do extraordinário
A tentação do desânimo também é, paradoxalmente, tentação do extraordinário. Novidade é bom, mas novidade não é o “feijão com arroz”. Por isso, achar que as coisas estão monótonas, batidas e repetitivas, mas não propor mudanças factíveis, é comodismo e falta de realismo. O entusiasmo pelas quimeras passa muito rápido.
Sonhar é bom porque ilumina o presente, mas só o amor renova o costumeiro.


3. Tentação do cansaço
Não somos combatentes o tempo todo. Apenas por amor se compreende uma superação contínua. Cansaço sempre há, e não há razão para se surpreender com isso.
Muitos se enganam pensando que vão descansar fazendo nada. A melhor forma de restaurar as forças é mudar de atividade, sair de si e pensar nos outros.


4. Tentação do medo
Ninguém é imune às adversidades, nem tem “corpo fechado”. É necessário ter cuidado para não condicionar as ousadias pelo medo das feridas.
Só é forte quem se deixa vulnerar por causas nobres.


Quais são as suas tentações e como você lida com elas?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...